CGI.br: 25 anos de gestão multissetorial da internet no Brasil

O Comitê Gestor da Internet no Brasil completa 25 anos de existência no próximo 31 de maio. Com um modelo multissetorial de gestão, composto por diferentes setores – governo, academia, terceiro setor, setor empresarial – o CGI foi responsável por traçar os rumos do desenvolvimento da internet no país, contribuindo para definições técnicas no começo, até desempenhar papel político fundamental da definição de diretrizes para a rede, como quando elaborou em 2009 o decálogo que alicerçou a lei do Marco Civil da Internet, sancionada em 2014.

Para celebrar a data, o CGI.br realizou um evento digital nesta sexta-feira, no qual revelou os nomes vencedores da primeira edição do Prêmio Destaques em Governança da Internet no Brasil. Entre os homenageados está a fundadora da Momento Editorial, Lia Ribeiro Dias (foto), que por dez anos dirigiu a revista voltada à inclusão digital ARede.

Também foram premiados

  • Aleksandar Mandic, um dos primeiros a explorar comercialmente o provimento de internet no país;
  • Benedicto Fonseca Filho, diplomata, teve ajudou a idealizada e realizar o evento NETmundial;
  • Caio Túlio Costa, um dos fundadores do UOL;
  • Carlos Alberto Afonso, o C.A., dirige o Instituto Nupef e cofundou, ao lado de Betinho, o primeiro provedor de serviços de internet do país em 1989;
  • Cristina De Luca, jornalista especializada em tecnologia da informação;
  • Demi Getschko, responsável pela primeira conexão TCP/IP brasileira, em 1991;
  • Edmundo de Souza e Silva, cientista, considerado um dos construtores da internet.br;
  • Eduardo Levy, ex-presidente executivo do SindiTelebrasil e ex-integrante do CGI.br;
  • Ethevaldo Siqueira, jornalista, comentarista, especializado em tecnologia;
  • Fabio de Oliveira, junto com Gustavo Viberti, criou o portal Cadê?, de buscas na internet, no começo da década de 1990;
  • Gustavo Viberti, com Oliveira, fez o Cadê? em 1995;
  • Graciela Selaimen, jornalista pioneira na defesa de direitos no âmbito das redes digitais, confundadora do Instituto Nupef;
  • Hartmut Glaser, atua desde 1996 no CGI.br, foi diretor do LACNIC de 2000 a 2018;
  • Ivan de Moura Campos, foi coordenador do CGI e membro da diretoria da ICANN;
  • José Israel Vargas, ex-ministro de C&T do governo Itamar Franco e Fernando Henrique Cardoso, editou a portaria que deu origem ao CGI.br;
  • José Roberto Boisson de Marca, um dos responsáveis pelo desenvolvimento do padrão ViFi;
  • Liane Tarouco, doutora em Engenharia Elétrica pela USP e professora também da USP;
  • Michael Stanton, foi coordenador de P&D da RNP em seus primórdios;
  • Nelson Simões, diretor-geral da RNP, fundador da Cooperação Latino-Americana de Redes Avançadas (CLARA);
  • Paulo Henrique de Aguiar Rodrigues, participou da criação da RNP e da Rede Rio;
  • Saliel Figueira Filho, foi coordenador técnico do projeto Alternex, do IBASE – o primeiro serviço de acesso à Internet brasileiro aberto ao público;
  • Sílvio Meira, em 1996, fundou o Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife (C.E.S.A.R);
  • Tadao Takahashi, concebeu, criou e dirigiu a RNP, participou da concepção do CGI.br, onde foi um dos primeiros conselheiros. Criou, implantou e dirigiu o Programa Sociedade da Informação – SOCINFO entre 1998 e 2003. Tadao recebeu várias distinções ao longo de sua carreira, incluindo o Global Internet Hall of FAME (2017).

No setor público, os homenageados pelo desenvolvimento da internet nos últimos 10 anos foram:

  • Miriam Wimmer, Diretora de Serviços de Telecomunicações no MCTIC
  • José Gontijo, Diretor do Departamento de Ciência, Tecnologia e Inovação Digital (DECTI)
  • Artur Coimbra, Diretor de Banda Larga do MCTIC

E, em homenagem póstuma, foram premiados:

  • Alberto Courrege Gomide, que realizou à mão os primeiros registro de domínio .com.br;
  • Amaro Moraes e Silva Neto, advogado especializado em privacidade e direito digital;
  • Arthur Pereira Nunes, um dos formuladores da Política Nacional de Informática;
  • Hebert José de Souza, o Betinho, que na luta democratização da informação fundou o primeiro provedor de acesso à internet do país e incentivou junto ao governo da época a criação do CGI.br com moldes multissetoriais;
  • Luiz Fernando Gomes Soares, pesquisador que contribuiu com a padronização internacional da IPTV;
  • Sergio Motta, ex-ministro das comunicações do governo Fernando Henrique Cardoso.

O post CGI.br: 25 anos de gestão multissetorial da internet no Brasil apareceu primeiro em TeleSíntese.

Socialize-se!
%d blogueiros gostam disto: