Após penar sozinho, este cara agora ajuda negros e LGBTs a trabalhar em tec

Com objetivo de tornar o mercado de trabalho da tecnologia mais diverso, um engenheiro de software carioca criou um projeto social que, desde 2019, tem formado gratuitamente negros, LGBTQIA+, mulheres, jovens de baixa renda e moradores de periferia para atuar em tecnologia. Chamado de Tecnogueto, a ideia surgiu a partir da experiência pessoal de Rodrigo Ribeiro no mercado de trabalho.
Socialize-se!
%d blogueiros gostam disto: