anatel-aprova-novo-edital-de-telefonia-fixa-prevendo-uso-do-fust

Anatel aprova novo edital de telefonia fixa prevendo uso do Fust

Anatel aprova edital para futuras concessões de telefonia fixa
Anatel aprova edital para novas concessões de telefonia fixa (crédito: Freepik)

Por unanimidade, o conselho diretor da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) aprovou, nesta quinta-feira, 4, um novo edital para concessão do serviço de telefonia fixa. A proposta é vista como alternativa caso nem todas as atuais concessionárias migrem para o regime privado (autorização).

Os principais aspectos do edital foram apresentados pelo conselheiro Alexandre Freire. A intenção da Anatel é outorgar o Serviço Telefônico Fixo Comutado (STFC) apenas na modalidade local, em cidades consideradas pouco competitivas no serviço de voz ou em municípios nos quais a telefonia fixa no regime de concessão é a única opção para o serviço de voz, de modo que não fiquem desassistidos. Isso porque as atuais concessões de telefonia fixa terminam em 31 de dezembro de 2025.

O prazo de concessão será de cinco anos, prorrogável por igual período. “Em síntese, busca-se reduzir o escopo do serviço concedido, em razão das elevadas obrigações de uma concessão, vis-à-vis, com crescente desinteresse do serviço de voz, para aquelas áreas geográficas que não têm oferta de outros serviços de telecomunicações”, explicou Freire.

Para ampliar o interesse pela licitação, o edital permitirá o uso do Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicações (Fust) para o cumprimento dos compromissos impostos aos vencedores. Na prática, a Anatel planeja que a futura concessionária use os recursos do fundo para cobrir parte dos custos que não puder ser recuperado com a exploração econômica do STFC.

“As proponentes deverão apresentar não o valor que pretendem pagar pela outorga, mas o total de recursos do fundo que pretendem requisitar para custear o cumprimento dos compromissos previstos no edital de licitação, durante o prazo de outorga”, disse Freire. “O vencedor será quem usar o menor recurso do Fust”, completou.

O conselheiro informou que o Plano Geral de Outorgas e o Plano de Metas de Universalização também foram aprovados. As propostas serão encaminhadas para apreciação do Ministério das Comunicações.

Foco é a adaptação do serviço

Em coletiva de imprensa, o conselheiro Arthur Coimbra afirmou que, no que diz respeito ao STFC, “o plano A é a adaptação” – transformação das concessionárias (regime público) em autorizadas (regime privado). Contudo, ressaltou que “existe o risco de nem todas [as incumbentes] se adaptaram por razões diversas”.

Desse modo, o edital vem para cobrir essa eventual necessidade. “Em isso acontecendo, a gente continua obrigado pela lei a manter o STFC naquela região. É por isso que o edital está seguindo adiante”, assinalou.

Recentemente, algumas das incumbentes avançaram nas negociações para realizar a migração do regime. Na quarta-feira, 3, a Oi teve o acordo aprovado pelo Tribunal de Contas da União (TCU). O trato ainda precisa ser validado pela Advocacia-Geral da União (AGU).

A Vivo está um pouco atrás nesse processo, mas já tem o aval do conselho de administração para seguir negociando com as autoridades públicas.

Compartilhe

Spotify: usuários relatam sugestões de músicas com ataques à urna e ao ministro Moraes
Xbox anuncia controles inspirados em Deadpool e Wolverine; confira!
sai-norma-sobre-encarregado-de-tratamento-de-dados-pessoais
Sai norma sobre encarregado de tratamento de dados pessoais
Quem é o Mestre Sith em Star Wars The Acolyte? Entenda final da série
Tinder: IA vai ajudar usuários a escolher a melhor foto para o perfil
Lula diz que Big Techs lucram com ódio no país e defende taxação
TikTok perde processo na Europa e terá que se enquadrar em novas leis
ibama-libera-instalacao-da-infovia-02,-mas-seca-e-obstaculo
Ibama libera instalação da Infovia 02, mas seca é obstáculo
Você concorda? Veja lista com 50 melhores séries de todos os tempos
Reels do Instagram agora podem ter mais de uma música