tcu-prorroga-por-mais-15-dias-analise-do-acordo-da-telefonica-pelo-fim-da-concessao

TCU prorroga por mais 15 dias análise do acordo da Telefônica pelo fim da concessão

Crédito: Freepik
Crédito: Freepik

O Tribunal de Contas da União (TCU) decidiu prorrogar por mais 15 dias, contados a partir de hoje, 11 de junho, a análise do processo pelo fim da concessão da Telefônica, que já tinha fechado o acordo com a Anatel no Tribunal no dia 24 de maio deste ano. Pelo que foi acertado,  a operadora irá investir R$ 4,5 bilhões em redes de telefonia celular em localidades onde a exploração do serviço não dá lucro, ou com o Valor Presente Líquido (VPL) negativo e em construção de backhaul.

Em troca desse investimento, que encerra o longo debate sobre o ônus e o bônus da concessão de telefonia fixa, a operadora também se comprometeu a desistir de levar qualquer reivindicação monetária para a arbitragem, que tinha sido instaurada antes desse processo.

A Oi, ao contrário, por ter uma dívida bem maior e muito mais dificuldades financeiras para arcar com o que foi acordado junto ao TCU, informou ao mercado, quando do anúncio do fechamento dos termos da negociação, que ainda buscaria a arbitragem para recuperar alguns de seus pleitos monetários.

No encontro de contas entre as empresas e o Estado de quanto valeria a concessão de telefonia fixa, o Estado, por intermédio da Anatel, tinha um preço maior a cobrar das concessionárias por não cumprimento de cláusulas contratuais e mesmo pelo valor dos bens reversíveis (no caso da Telefônica era de R$ 8,5 bilhões), e as concessionárias, por outro lado, alegavam que a concessão estava em desequilíbrio econômico há vários anos, devido a diferentes medidas regulatórias, que sangraram o serviço, mas, principalmente, devido à paulatina perda de relevância do telefone fixo em troca de outras tecnologias.

O que será finalizado no acordo da Telefônica

Além da extinção dos contratos de concessão, e do estabelecimento dos valores a serem investidos pela empresa para ficar com os bens da concessão, serão também extintos os processos administrativos na Anatel relacionados à execução dos contratos de concessão da telefonia fixa; os processos judiciais  relacionados exclusivamente à execução dos contratos de concessão do STFC; a renúncia das pretensões, de parte a parte, de instaurar novos litígios para discussão de aspectos relacionados exclusivamente à execução dos contratos de concessão e a extinção da arbitragem.

Os conselheiros Alexandre Freire e Vicente Aquino solicitaram ao presidente da Anatel Carlos Baigorri, que a reunião da agência que vai deliberar sobre os termos do acordo seja promovida presencialmente e aberta ao público, na sede em Brasília.

Compartilhe

Netflix recebe temporada 6 de Cobra Kai! Relembre a história da série
De surpresa! Realme GT 6 é lançado no Brasil em duas cores por R$ 3.999
Apple 'alfineta' vigilância do Google Chrome em novo comercial do Safari
The Boys altera final da quarta temporada após tiros em Donald Trump
One UI 7 da Samsung pode ter grandes mudanças de design e interface
Sucesso! Fallout se torna segunda série de games mais indicada ao Emmy
Clone do Canva, Microsoft Designer agora está liberado para todos
Google Files pode ganhar compactação de arquivos em ZIP e novo visual
10 notícias de tecnologia para você começar o da (18/07)
ataques-ciberneticos-crescem-cerca-de-70%-no-brasil-em-um-ano
Ataques cibernéticos crescem cerca de 70% no Brasil em um ano