canada-impoe-taxa-de-5%-da-receita-a-plataformas-de-streaming

Canadá impõe taxa de 5% da receita a plataformas de streaming

Canadá implementa taxa de 5% sobre a receita local a plataformas de streaming
Plataformas de streaming terão taxa de 5% sobre a receita local no Canadá (crédito: Freepik)

No Canadá, grandes plataformas de streaming terão que pagar uma taxa equivalente a 5% da receita local. Os recursos serão direcionados ao sistema de transmissão de conteúdo do país, informou o órgão regulador de telecomunicações canadense, nesta terça-feira, 4.

Em comunicado, a Comissão Canadense de Rádio, Televisão e Telecomunicações (CRTC, na sigla em inglês), órgão com funções semelhantes às da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) no Brasil, destacou que busca modernizar a estrutura de transmissão do país e garantir que os serviços de streaming façam “contribuições significativas” para o conteúdo local, inclusive produções indígenas.

A medida foi implementada como consequência da Lei de Streaming Online (Online Streaming Act), aprovada no ano passado. Na sequência, o regulador elaborou um plano regulatório e abriu uma consulta pública sobre o tema. Mais de 360 contribuições foram recebidas.

A agência reguladora estima que arrecadará cerca de 200 milhões de dólares canadenses (aproximadamente R$ 773,3 milhões) por ano com a nova taxa.

Além disso, a CRTC indicou que os recursos serão direcionados a áreas de necessidade imediata do sistema de radiodifusão canadense, como notícias locais no rádio e na televisão, conteúdo em francês, conteúdo indígena e conteúdo criado por e para comunidades merecedoras de equidade, comunidades minoritárias de língua oficial e canadenses de diversas origens.

A medida prevê que as plataformas de streaming possam direcionar parte das contribuições para apoiar diretamente o sistema de televisão canadense.

Debate no Brasil

A implementação de uma taxa sobre o uso das redes de telecomunicações por plataformas de streaming e big techs, também conhecida como “fair share”, segue em discussão no Brasil.

Em tomada de subsídios promovida pela Anatel, a Conexis, entidade que representa as grandes operadoras, defende que seja adotada uma taxa. Neste caso, o órgão regulador ficaria responsável por definir o percentual de ocupação do tráfego de dados passível de cobrança.

Por outro lado, gigantes de tecnologia e pequenos provedores argumentam que uma eventual taxa de uso da rede pode gerar impactos negativos à concorrência e aos consumidores.

alares-compra-a-azza-e-assume-o-quarto-lugar-entre-os-isps-no-mercado-de-sp
Alares compra a Azza e assume o quarto lugar entre os ISPs no mercado de SP
Netflix recebe temporada 6 de Cobra Kai! Relembre a história da série
De surpresa! Realme GT 6 é lançado no Brasil em duas cores por R$ 3.999
Apple 'alfineta' vigilância do Google Chrome em novo comercial do Safari
The Boys altera final da quarta temporada após tiros em Donald Trump
One UI 7 da Samsung pode ter grandes mudanças de design e interface
Sucesso! Fallout se torna segunda série de games mais indicada ao Emmy
Clone do Canva, Microsoft Designer agora está liberado para todos
Google Files pode ganhar compactação de arquivos em ZIP e novo visual
10 notícias de tecnologia para você começar o da (18/07)