ipespe:-40%-da-populacao-desconhece-o-programa-celular-seguro

Ipespe: 40% da população desconhece o Programa Celular Seguro

Programa Celular Seguro é desconhecido por 40% da população, aponta pesquisa
Até o início de abril. mais de 1,8 milhão de pessoas já haviam se cadastrado na plataforma Celular Seguro | Foto: Tele.Síntese

O Programa Celular Seguro – que permite o bloqueio remoto de dispositivos roubados, furtados ou perdidos – permaneceu desconhecido por 40% da população após quatro meses do lançamento. É o que aponta pesquisa do Instituto de Pesquisas Sociais, Políticas e Econômicas (Ipespe), encomendado pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban), publicada na última semana, referente ao mês de abril.

Na comparação entre os meses de fevereiro e abril deste ano, o contingente de pessoas que tomaram conhecimento sobre o Programa Celular Seguro oscilou entre 57% e 58%. O desconhecimento é maior entre pessoas com escolaridade até o nível fundamental (46%) e na faixa de renda familiar de até dois salários mínimos (47%).

Ainda de acordo com o levantamento, mais da metade dos brasileiros (53%) declara que já aderiu ou pretende aderir ao Celular Seguro. Por outro lado, caiu de 35% para 29% o montante que “não participa nem pretende participar” da plataforma; e aumentou de 11% para 15% os que declaram que “vão se informar melhor” sobre o programa.

Considerando os diferentes segmentos sociodemográficos, o maior nível de desinteresse ao Celular Seguro é identificado na faixa etária de 60 anos ou mais (37%); e entre as pessoas que estudaram até o fundamental (35%); faixa de renda até dois salários mínimos  (34%); e residentes da região Norte do país (37%).

A pesquisa também analisou a experiência dos usuários. Entre os que conhecem o programa, a avaliação positiva (ótimo/bom) se manteve em alto patamar no período analisado: 73% em abril (ante 72% em fevereiro). Esse número, que alcança 80% no Nordeste, fica abaixo de 70% na faixa de 60 anos ou mais (69%), no Norte (65%) e no Sul (68%).

Até o início de abril mais de 1,8 milhão de pessoas já haviam se cadastrado na plataforma Celular Seguro, somando 37,6 mil alertas de bloqueio.

Como funciona

O Celular Seguro funciona a partir do casamento entre o aplicativo do programa (disponível para Android e iOS) instalado no dispositivo que se deseja proteger e uma página na internet (celularseguro.mj.gov.br) que pode ser acessada de qualquer computador ou outro celular.

Após baixar o app no celular, o usuário faz login (o mesmo do gov.br) e preenche os dados do aparelho que deseja proteger. Também pode apontar uma pessoa de confiança para acionar o sistema caso o celular tenha sido roubado e não seja possível buscar outro dispositivo para entrar no site.

Com o app instalado e rodando, o celular fica habilitado a ser alvo de alerta de roubo ou furto. Caso o usuário seja roubado, aciona o alerta pelo site ou através da pessoa de confiança.

Emitido o alerta, IMEI do aparelho é bloqueado na Anatel, que informa a ABR Telecom, entidade que faz a gestão de sistemas e dados compartilhados entre as operadoras de telecomunicações. A ABR terá até 6h para enviar a notificação do IMEI a ser bloqueado, e as operadoras terão 24h a partir do recebimento para efetivar o bloqueio, que impedirá o aparelho de funcionar.

Com informações da Febraban*

Compartilhe

HUAWEI eKIT É NA CELETI - KIT INCRÍVEL PARA O SEU PROVEDOR
UNBOXING SERVIDOR DELL R630 - ANEXA TELECOM
FUTEBOL, SAMBA E AMIGOS - EXPOISP OLINDA - DIA 03
SEGUNDO DIA NA EXPOISP - FOI MUITO PRODUTIVO
CONCEITO DE DATA CENTER EDGE - ASAP TELECOM
O PROJETO DE ARQUITETURA DO NOSSO PROVEDOR - MULTIWAY
NOSSO PRIMEIRO DIA NA EXPOISP - TRIP 18
TRIP ESPECIAL EXPOISP OLINDA - EP17
VALE A PENA TELEMEDICINA PARA PROVEDOR ? - TECWI
O QUE É DATA CENTER TIER 1,2,3 e 4 ? - ASAP TELECOM