TIM defende roaming obrigatório nas rodovias

Na contribuição que mandou à tomada de subsídio nº 25 da Anatel, a TIM defende que todas as operadoras com infraestrutura nas estradas abram suas redes para o roaming.

“A TIM (…) vem indicar na presente Tomada de Subsídios a necessidade de instrumentos de política pública que assegurem: (i) em caso de cobertura de trechos em rodovias e estradas, a abertura destas redes 4G a terceiros; e (ii) que todas as operadoras disponibilizem o acesso aos seus usuários a conectividade nas rodovias nos trechos por elas não cobertos por meio dos acordos de roaming”, resume.

A empresa afirma que questões técnicas podem ser superadas em mesas de negociação. E é preciso obrigar a oferta do roaming a todos os usuários a fim de justificar o investimento e a abertura das redes.

“Em outras palavras, o investimento em expansão de redes em trechos ao longo de rodovias e estradas somente terá qualquer utilidade coletiva caso todos os usuários possam, em última instância, se beneficiar dessa expansão”, diz a TIM.

A companhia ressalta, no entanto, que não existe regra alguma ou política pública que obrigue as operadoras em geral a ofertar roaming a seus usuários. “Esta condição não consta expressamente de instrumento regulatório ou de política pública e merece enforcement imediato da Anatel”.

Para a TIM, o roaming é a solução de menor complexidade técnica e custo para permitir o trânsito de visitantes entre redes. “O compartilhamento de rede / RAN Sharing, em comparação ao Roaming, exige maior complexidade técnica, inclusive manifestado pela necessidade de aprovações regulatórias e concorrências específicas, bem como tende a não ser recomendado como solução ótima para agregar uma quantidade substancial de operadoras em uma mesma localidade”, manifesta.

A tele também traz recomendações técnicas. Sugere que a Anatel fomente arranjos que envolvam a tecnologia 4G. Mas que, em benefício da experiência de uso do visitante em roaming, oriente também a garantia do serviço de voz na tecnologia VoNR para redes 5G, VoLTE no 4G, e cobre interoperabilidade otimizada.

Como a Telefônica Brasil, defende que a remuneração no compartilhamento de rede leve em conta os investimentos realizados, em linha com as práticas de mercado.

E quer manutenção do modelo atual de editais da ANTT, que permite parcerias entre concessionárias de rodovias e operadoras para cobrir as estradas com sinal móvel. “Desassociar a conectividade em rodovias de um ambiente de investimento com retorno regulado nos parece ser um desestímulo ao modelo que tem funcionado com grande êxito e sido um efetivo habilitador para a expansão do acesso à conectividade”, diz.

Como Claro e Vivo, cobra participação de outros órgão na facilitação do investimento em rede para cobertura de estradas: “no âmbito de formulação de políticas públicas, em especial os Ministérios dos Transportes e das Comunicações, e para a implementação destas políticas, a ação coordenada, entre Anatel, ANTT, DNIT, Departamento de Estradas e Rodagem (DER)”. Cobra, ainda, atenção à Lei das Antenas pelos municípios.

O post TIM defende roaming obrigatório nas rodovias apareceu primeiro em TeleSíntese.


Abramulti: Tele.sintese

Tags

Compartilhe

10 notícias mais importantes da semana (15/04 a 19/04)
Dono da Claro promete investimento de R$ 40 bilhões no Brasil; confira
Direitos do Consumidor no mundo digital são pautados pelo MCom; confira
Apple é obrigada a retirar WhatsApp e Threads da loja de apps na China
Itaú Unibanco lança função "transferir limites" para seus cartões
Dell Technologies expande armazenamento multicloud para aplicações de IA Azure
Malware mira usuários da Apple em 92 países
Com receita de R$ 555 milhões, Selbetti Tecnologia registra crescimento de 23%
Após o aporte do início do ano, Skyone adquire companhia por R$ 15 milhões e reforça presença em cloud
NovaRed e E-TRUST anunciam parceria para a oferta de gerenciamento de identidade e acessos