Macro setor de TIC fatura R$ 707,7 bilhões em 2023

O macrosetor de TIC (reúne TI e Telecom) em 2023 atingiu a cifra de R$ 707, 7 bilhões de reais, crescimento de 5,9% em relação ao ano de 2022, o que representa 6,5% do PIB brasileiro. Os números fazem parte do relatório setorial divulgado nessa quarta-feira, 3, pela Brasscom – Associação das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação.

Quando se considera apenas o setor de TI, o valor da receita foi de R$ 348,2 bilhões, crescimento de 8,5% em relação a 2022. Ele inclui TI, Software, Serviços, Nuvem, BPO, Business Consulting, Estatais, Hardware e Exportações.  Quando se considera os números de Tecnologias Digitais nas empresas usuárias, o valor chega a 74,3 bilhões, valor 6,4% superior ao ano de 2022. O segmento de Telecom isoladamente gerou receitas de R$ 285,2 em 2023, 2,7% de crescimento em relação a 2022.

A empresas associadas à Brasscom pretende investir R$ 729 bilhões até 2027 para acelera o crescimento do setor, para chegar a pelo menos 8% do PIB Nacional.

O Macrossetor TIC emprega 2,05 milhões de profissionais, correspondendo a 4% dos empregos nacionais, com incremento de 29 mil novos postos de trabalho em 2023. Apesar de ter um crescimento de 1,4% na geração de empregos em 2023, isso representou 29,2 mil novos postos de trabalho gerados no ano.

Fazendo um recorte da receita de R$ 348,2 bilhões geradas por TIC, o segmento de Hardware representou R$ 107,4 bilhões; o de Software R$ 43,8 bilhões; Serviços R$ 104,3 bilhões; serviços de Nuvem, R$ 46,5 bilhões e Exportações, R$ 46,2 bilhões.

Segundo Affonso Nina, presidente executivo da Brasscom, a entidade está articulando um plano para alavancar o crescimento da TI nacional, para levar ao “conselhão” do presidente Lula, onde 3 executivos da Brasscom têm acento.

Nina disse que o setor enfrenta hoje a volta da “pejotização”  no mercado de trabalho com a Reforma Tributária que favorece essa prática; a contratação de profissionais brasileiros por empresas estrangeiras que não tem base no Brasil; e pela ameaça da não aprovação legal da desoneração fiscal  que pode gerar mais custos para empresas que empregam grande número de mão de obra.

O relatório do Macrosetor de TIC, com mais informações, estão disponível para download no site da entidade.

Tags

Compartilhe

Apenas 22% dos brasileiros tem acesso a boa conectividade; veja estudo
Claro e Embratel lançam programa que facilita acesso de startups ao Open Gateway
Claro registra receita de R$ 11,77 bilhões no 1º tri, alta de 5%
Magalu Cloud lança produtos de armazenamento e segurança
B3 lança solução de ativos tokenizados para viabilizar a arrecadação de fundos
Explorando o mundo dos dados: uma metáfora culinária
Oi quer regulação das redes neutras e mudanças em interconexão
Alloha Fibra diz que mudança no conceito de PPP pode “implodir” negócios
Condecine: Senadores rejeitam emenda que blindaria YouTube e TikTok
Novo programa Claro e Embratel quer facilitar acesso de startups ao Open Gateway