Oracle ajuda as organizações a atingir os mais altos níveis de escalabilidade e disponibilidade e a atender aos requisitos de soberania de dados

A Oracle anunciou a disponibilidade geral do Oracle Globally Distributed Autonomous Database. O Globally Distributed Autonomous Database, conta com os benefícios do Oracle Autonomous Database e a capacidade de controle de políticas de distribuição e localização de dados. Isso permite que as empresas distribuam e armazenem automaticamente dados em todas as partes do mundo, em diversas localidades, incluindo América Latina, de forma transparente para as aplicações. Com essa abordagem, os clientes podem atingir os mais altos níveis de escalabilidade e disponibilidade, atender aos requisitos de soberania de dados com recursos operacionais autônomos e redução significativa de custos.

Siga o tecflow no Google News!Participe dos nossos canais no Telegram ou Whatsapp!Confira nossos stories no Instagram e veja notícias como essa!Siga o tecflow no Google Podcast Spotify Podcast para ouvir nosso conteúdo!Anuncie conosco aqui ou apoie o tecflow clicando neste link.

Como um banco de dados convergente com recursos completos, o Global Distributed Autonomous Database simplifica o desenvolvimento e o uso de bancos de dados distribuídos para aplicações de missão crítica, oferecendo suporte a praticamente todos os tipos de dados, cargas de trabalho e estilos de programação em escala. As aplicações SQL existentes podem usar bancos de dados distribuídos sem precisar ser rescritos. Para atender às necessidades de cada aplicação, o Oracle Globally Distributed Autonomous Database traz mais métodos de distribuição, replicação e implantação dos dados do que outros bancos de dados distribuídos.

“As organizações com operações globais têm demandas de aplicações específicas relacionadas à soberania, escala e disponibilidade de dados que podem variar entre continentes e países. Essas demandas podem ser atendidas por uma arquitetura de banco de dados distribuída de missão crítica com suporte à distribuição global”, disse Juan Loaiza, vice-presidente Executivo de Tecnologias de Banco de Dados de Missão Crítica da Oracle.

“O novo Globally Distributed Autonomous Database atende a essas necessidades e, ao mesmo tempo, permite a redução de custos com uma arquitetura flexível e automaticamente dimensionável. Com recursos de banco de dados convergente, é um serviço de nuvem de banco de dados distribuído mais simples, funcional e de missão crítica do mundo.”

Os bancos de dados distribuídos podem ser difíceis de implantar e gerenciar devido ao grande número de servidores implantados em vários locais. O Globally Distributed Autonomous Database elimina essa complexidade usando e ampliando os recursos de automação orientados por IA e Machine Learning do Autonomous Database, bem como a distribuição automática de dados e o gerenciamento de fragmentos. Os administradores podem gerenciar bancos de dados distribuídos como um único banco e usar recursos automatizados de provisionamento, ajuste, dimensionamento, aplicação de patches e segurança para evitar tarefas manuais demoradas e possíveis erros. O escalonamento automático do banco de dados por fragmento individual também permite que os clientes aumentem ou diminuam os recursos com base na demanda, minimizando o consumo e os custos.

Aprimoramentos adicionais do Oracle Database

Com a integração da IA generativa da Oracle em toda a sua pilha de tecnologia, os desenvolvedores têm novas ferramentas para integrar IA e Machine Learning em suas aplicações, incluindo o Autonomous Database Select AI. Recurso usa grandes modelos de linguagem (LLM) para traduzir perguntas de linguagem natural em tópicos de diálogo em consultas SQL. Com o Globally Distributed Autonomous Database, a consulta SQL é automaticamente encaminhada para o país ou fragmento apropriado para gerar as respostas. Além disso, o Oracle Database 23c com replicação por consenso baseada em quorum Raft oferece failover automático de aplicações em menos de 3 segundos, sem perder nenhum dado. A pesquisa vetorial de IA com integração de geração aumentada de pesquisa (RAG) também estará disponível ainda este ano.

Comentários de clientes e analistas

“O Globally Distributed Database da Oracle nos permite cumprir as normas de residência de dados de uma forma muito econômica, sendo transparente para os usuários de aplicações sobre a localização dos dados quando eles são implantados em vários países”, disse Bilal Ramadan, diretor, Munich Re HealthTech.

“Muitos sistemas de banco de dados incorporam, de alguma forma, a tecnologia de sharding para permitir que os usuários gerenciem conjuntos de dados em vários bancos de dados, geralmente com alguns recursos de banco de dados distribuídos. Essas técnicas geralmente sobrecarregam os desenvolvedores de aplicações, que precisam escrever códigos para isolar e coordenar atualizações particionadas para evitar conflitos de dados e combinações ilógicas de dados. A abordagem da Oracle para sharding elimina essa complexidade, garantindo que as interações entre aplicação e banco de dados sejam transparentes e confiáveis. A Oracle vem oferecendo essa abordagem há muito tempo, e até mesmo os maiores bancos do mundo agora usam esse produto maduro para atender às normas de soberania de dados. Com a arquitetura distribuída da Oracle, os usuários podem atender a esses requisitos implantando um único fragmento para manter os dados locais em um determinado país e, ao mesmo tempo, acessar os dados para agregar relatórios de fim de trimestre, tudo isso de forma transparente para a aplicação”, disse Carl Olofson, vice-presidente de Pesquisa de Software de Gerenciamento de Dados, IDC “A comprovada tecnologia de clustering RAC da Oracle também foi estendida a essa abordagem de banco de dados distribuído, fornecendo um rico conjunto de modelos de distribuição de dados, métodos de replicação e opções de implantação de fragmentos que são fáceis de gerenciar, simples de desenvolver e permitem que o Oracle Database atenda aos requisitos exclusivos dos clientes. A Oracle agora incorpora a IA para que os usuários do Globally Distributed Autonomous Database não precisem conhecer o banco de dados, SQL ou mesmo onde os dados estão localizados. Eles podem fazer uma pergunta na interface de linguagem natural por meio do Select AI e o LLM a converterá em uma consulta SQL que é automaticamente encaminhada ao país ou fragmento apropriado. Essas tecnologias posicionaram a Oracle como uma peça-chave na categoria de bancos de dados distribuídos”.

Faça como os mais de 10.000 leitores do tecflow, clique no sino azul e tenha nossas notícias em primeira mão! Confira as melhores ofertas de celulares na loja parceira do tecflow.

Tags

Compartilhe

10 notícias mais importantes da semana (15/04 a 19/04)
Dono da Claro promete investimento de R$ 40 bilhões no Brasil; confira
Direitos do Consumidor no mundo digital são pautados pelo MCom; confira
Apple é obrigada a retirar WhatsApp e Threads da loja de apps na China
Itaú Unibanco lança função "transferir limites" para seus cartões
Dell Technologies expande armazenamento multicloud para aplicações de IA Azure
Malware mira usuários da Apple em 92 países
Com receita de R$ 555 milhões, Selbetti Tecnologia registra crescimento de 23%
Após o aporte do início do ano, Skyone adquire companhia por R$ 15 milhões e reforça presença em cloud
NovaRed e E-TRUST anunciam parceria para a oferta de gerenciamento de identidade e acessos