Oi Reduz 2,5 vezes os custos operacionais em projeto de dados

Em parceria com a BRQ, a Oi deu um passo significativo em sua jornada de transformação digital, reduzindo custos operacionais por meio de um projeto de modernização de dados. Este projeto envolveu a migração de três servidores Teradata locais para a nuvem AWS, resultando em uma redução de 2,5 vezes nos custos operacionais (OPEX).

Segundo a IDC, mais de 70% das empresas buscam migrar para a nuvem visando principalmente a economia de custos. Neste contexto, a Oi enfrentava o desafio de ganhar eficiência em OPEX, reduzindo custos operacionais e recorrentes. A modernização de dados oferecia uma solução para aumentar a eficiência, permitindo à empresa ajustar dinamicamente seus recursos de processamento e armazenamento conforme a demanda.

A solução proposta envolveu a migração para a nuvem AWS, utilizando especificamente o serviço Redshift como solução de data warehousing gerenciada. A parceria estratégica com a BRQ permitiu à Oi planejar e executar a modernização de forma eficiente, garantindo integridade, segurança, e acessibilidade dos dados no ambiente AWS Redshift. Além disso, aceleradores foram utilizados no processo de migração para reduzir o tempo em até 72%, minimizando erros e padronizando processos.

Resultados e Impactos Esperados

Os resultados alcançados foram significativos:

• Redução de 2.5 vezes nos custos operacionais (OPEX)

• Melhoria da escalabilidade, permitindo pagar apenas pelo uso real

• Near-real-time analytics com desempenho aprimorado

• Melhora da segurança, conformidade e governança dos dados

• Flexibilidade para evolução da arquitetura tecnológica conforme as necessidades do negócio

“A implementação do Redshift como nossa solução de data warehousing gerenciada na nuvem se apresenta como um case de grande sucesso. Estamos trabalhando para simplificar nossa operação diária, melhorar a eficiência na análise de dados e garantir a escalabilidade necessária para acompanhar o crescimento da nossa empresa”, conta Alessandra Perrelli, Executiva de Data Analytics da Oi.

As empresas reforçam que seu objetivo central é demonstrar não apenas a eficiência financeira, mas também destacar o papel essencial da inovação tecnológica para impulsionar a competitividade e o crescimento empresarial em um ambiente dinâmico. Esta iniciativa coloca a Oi em uma posição ainda mais forte para liderar a transformação digital no setor de telecomunicações do Brasil.

“Nesse modelo, a modernização das aplicações alcança todas as cargas de trabalho, em toda a organização, permitindo que os dados atravessem sistemas legados e futuros. Organizações que optam apenas pela migração direta de suas aplicações para a nuvem, seguindo uma estratégia de “lift and shift”, acabam por deixar de explorar uma oportunidade valiosa de transformação e inovação nos negócios, mas esse não foi o caso da OI”, finaliza William Nakasone, Chief Technology Officer da BRQ.

Tags

Compartilhe

Todas escolas de ensino básico em cidade na Paraíba tem acesso à internet
Astrônomos celebram o 34º aniversário do Telescópio Hubble: Um olhar sobre suas conquistas e futuro
Ator de GTA V chegou a gravar conteúdos para DLC cancelado pela Rockstar
Quer viver mais? Faça cardio
Fitch: Bancos brasileiros terão dificuldade para crescer em 2024
Gao Kexin é o novo CEO da Huawei no Brasil
TikTok vai contestar na Justiça a lei que pode banir o app nos EUA
Madonna no Brasil: Globo arrecada R$ 50 milhões para transmissão de show
Manor Lords impressiona pela complexidade, mas precisa de correções - Review
Maio na Netflix: confira as principais estreias do mês no streaming