Novo banco de dados da Oracle é projetado para distribuição de dados em diferentes regiões

A Oracle anunciou a disponibilidade geral do Oracle Globally Distributed Autonomous Database. O novo banco de dados conta com a capacidade de controle de políticas de distribuição e localização de dados, permitindo que as empresas distribuam e armazenem automaticamente dados em todas as partes do mundo6 de forma transparente para as aplicações, segundo a copanhia.

Em comunicado, a Oracle defende que com essa abordagem, os clientes podem atingir os mais altos níveis de escalabilidade e disponibilidade, atender aos requisitos de soberania de dados com recursos operacionais autônomos e redução significativa de custos.

Como um banco de dados convergente com recursos completos, o Global Distributed Autonomous Database simplifica o desenvolvimento e o uso de bancos de dados distribuídos para aplicações de missão crítica, oferecendo suporte a praticamente todos os tipos de dados, cargas de trabalho e estilos de programação em escala.

As aplicações SQL existentes podem usar bancos de dados distribuídos sem precisar ser rescritos. Para atender às necessidades de cada aplicação, o Oracle Globally Distributed Autonomous Database traz mais métodos de distribuição, replicação e implantação dos dados do que outros bancos de dados distribuídos.

“As organizações com operações globais têm demandas de aplicações específicas relacionadas à soberania, escala e disponibilidade de dados que podem variar entre continentes e países. Essas demandas podem ser atendidas por uma arquitetura de banco de dados distribuída de missão crítica com suporte à distribuição global”, disse Juan Loaiza, vice-presidente Executivo de Tecnologias de Banco de Dados de Missão Crítica da Oracle.

O Globally Distributed Autonomous Database reduz a complexidade operacional usando e ampliando os recursos de automação orientados por IA e machine learning do Autonomous Database, bem como a distribuição automática de dados e o gerenciamento de fragmentos.

Os administradores podem gerenciar bancos de dados distribuídos como um único banco e usar recursos automatizados de provisionamento, ajuste, dimensionamento, aplicação de patches e segurança para evitar tarefas manuais demoradas e possíveis erros. O escalonamento automático do banco de dados por fragmento individual também permite que os clientes aumentem ou diminuam os recursos com base na demanda, minimizando o consumo e os custos.

Com a integração da IA generativa da Oracle em toda a sua pilha de tecnologia, os desenvolvedores têm novas ferramentas para integrar IA e Machine Learning em suas aplicações, incluindo o Autonomous Database Select AI.

Recurso usa grandes modelos de linguagem (LLM) para traduzir perguntas de linguagem natural em tópicos de diálogo em consultas SQL. Com o Globally Distributed Autonomous Database, a consulta SQL é automaticamente encaminhada para o país ou fragmento apropriado para gerar as respostas. Além disso, o Oracle Database 23c com replicação por consenso baseada em quorum Raft oferece failover automático de aplicações em menos de 3 segundos, sem perder nenhum dado. A pesquisa vetorial de IA com integração de geração aumentada de pesquisa (RAG) também estará disponível ainda este ano.

Tags

Compartilhe

Xbox: jogos com até 90% de desconto para Xbox One e Series S|X
Honor não quer ser coadjuvante no Brasil, mas entrada no país ainda não foi confirmada
Código aberto, uma tecnologia em constante evolução
IA: Relatório preliminar prevê autoridade coordenadora com características de autarquia
Windows 11 agora exibe anúncios de apps dentro do Menu Iniciar
Veja dicas de como economizar na compra de eletrodomésticos
Diretor de Guerra Civil já fez quatro ótimos filmes de ficção científica! Veja quais
Home office: 102 vagas para trabalho remoto internacional [24/04]
Ações do Brasil para expandir telecom podem ser adotadas em qualquer país
Satélite da Telebras será usado para antecipar metas do governo de inclusão digital