Entre IA genérica e IA focada, fique com a segunda!

*Por André Fernandes

Que a Inteligência Artificial pauta todas as conversas sobre tecnologia nos dias de hoje, não há dúvidas. É uma inovação que está modificando muitos processos e mais: está trazendo mudanças culturais e organizacionais contundentes.

Siga o tecflow no Google News!Participe dos nossos canais no Telegram ou Whatsapp!Confira nossos stories no Instagram e veja notícias como essa!Siga o tecflow no Google Podcast Spotify Podcast para ouvir nosso conteúdo!Anuncie conosco aqui ou apoie o tecflow clicando neste link.

Como vemos atualmente, existe uma infinidade de projetos e processos sendo transformados pela IA e, por isso, as empresas têm à disposição uma gama de opções. Surge a dúvida: que tipo de Inteligência Artificial é mais interessante para os meus negócios?

Para começar a responder essa pergunta, um ponto muito importante a se levar em consideração é: até que ponto a IA que está sendo oferecida entende realmente do seu mercado? Dos seus clientes? Dos seus desafios com a força de trabalho?

A Inteligência Artificial generalista não vai atender a nenhum desses pontos sem dar muito trabalho antes. Mas existe uma outra via, que é a IA focada nos temas do seu core business.

Essa diferença é fundamental!

Hoje, uma Inteligência Artificial é proporcionalmente eficaz de acordo com os dados que a alimentam. Isso acontece porque IA aprende a partir de uma base de informações e, para que se possa realmente criar parâmetros que colaborem de forma efetiva, há necessidade de dados válidos e o mais precisos possível. Quando isso não acontece, a utilização da Inteligência Artificial traz grandes problemas.

Quando uma empresa opta por uma IA genérica, recebe conteúdos de diversos universos para que sejam validados. A partir daí, começa o treinamento e, depois, o uso. Quando a escolha recai sobre uma IA focada no core business, o cenário muda muito.

Neste caso, o conteúdo que alimenta o sistema é focado, já foi validado e, por isso, é mais seguro. A IA especializada também tem um tempo de implementação menor, o que será traduzido por um ROI mais rápido. A empresa já inicia a utilização com modelos pré-validados, que estão prontos para uso desde o momento zero. Além disso, a assertividade dos modelos é muito maior.

Segurança e reputação também são pontos importantes. A criação dos modelos de Inteligência Artificial não pode ser baseada em informações tiradas da internet, porque essa prática gera conteúdos inválidos, indevidos e até falsos. É necessário ter camadas de segurança da informação para garantir que os prompts estejam alinhados com a indústria de atuação e/ou com os dados de uma empresa. Também é importante que a solução de Inteligência Artificial tenha guardrails bem definidos, de forma a utilizar apenas os dados relacionados ao negócio da organização, reduzindo o risco de alucinações.

Problemas com conteúdo podem arranhar a imagem da companhia. A partir do momento em que esta provê uma informação errada e dezenas de pessoas tomam decisões apoiadas neste conteúdo, as consequências são dramáticas.

Vamos usar como exemplo o setor de Customer Experience (CX). Afinal de contas, a satisfação dos clientes é peça-chave para a fidelização. De acordo com o Gartner, 81% das pessoas que mudaram de opção na hora de consumir algum produto ou serviço de uma empresa específica, o fizeram pelo mau atendimento.

Como a Inteligência Artificial trabalha por modelos, quando estes estão predefinidos, focados e validados para criar uma ótima a experiência do cliente, é natural que o resultado seja mais assertivo. Os modelos específicos são focados em necessidades e entre elas está a satisfação do cliente. IAs especializadas em CX sabem as nuances de satisfação e, a partir daí, provém um serviço que muito mais alinhado.

Um dos maiores desafios das empresas hoje é a desagregação de informações e de plataformas utilizadas para o atendimento ao cliente. Quando há várias soluções para interação, há uma perda na jornada do cliente, porque cada estrutura tem sua própria base de dados, seus próprios processos internos e integrações, o que se traduz em uma experiência completamente desintegrada.

A Inteligência Artificial precisa aprender de algum lugar e quando ela o faz por intermédio de uma gama de dados desagregada, vai aprender por intermédio de jornadas pulverizadas.

Por isso, o ideal é a utilização de uma solução única, que forneça uma base agregada, independente dos canais de contato. Quando se utiliza Inteligência Artificial neste conteúdo, existe um aprendizado muito superior. A partir daí, as empresas podem analisar e trazer informações, descobrir cenários, descobrir jornadas que poderiam ser automatizadas e determinar que tipo de retorno poderiam dar para a empresa.

Este tipo de Inteligência Artificial analisa 100% das interações e identifica quais são as partes que podem ser automatizadas em pequenas entregas e, a partir desse ponto, construir uma verdadeira jornada completa.

Para empresas e departamentos que atuam com CX, como nos mercados e saúde, telecom, e-commerce e varejo, e para todos os demais, a melhor escolha é a IA especializada. Em um mundo cada vez mais entrelaçado por cadeias digitais, escolher errado é ficar para trás em um processo que necessita de assertividade.

*André Fernandes é Diretor de Pré-Vendas da NICE.

Faça como os mais de 10.000 leitores do tecflow, clique no sino azul e tenha nossas notícias em primeira mão! Confira as melhores ofertas de celulares na loja parceira do tecflow.

Tags

Compartilhe

Windows 11 agora exibe anúncios de apps dentro do Menu Iniciar
Veja dicas de como economizar na compra de eletrodomésticos
Diretor de Guerra Civil já fez quatro ótimos filmes de ficção científica! Veja quais
Home office: 102 vagas para trabalho remoto internacional [24/04]
Ações do Brasil para expandir telecom podem ser adotadas em qualquer país
Satélite da Telebras será usado para antecipar metas do governo de inclusão digital
Incentivo estatal pode viabilizar negócios de ISPs brasileiros na África
Todas escolas de ensino básico em cidade na Paraíba tem acesso à internet
Astrônomos celebram o 34º aniversário do Telescópio Hubble: Um olhar sobre suas conquistas e futuro
Ator de GTA V chegou a gravar conteúdos para DLC cancelado pela Rockstar