Brothers: A Tale of Two Sons Remake não justifica a própria existência

Toda vez que um remake é anunciado, a primeira pergunta que eu faço é “por quê?” Cada projeto vai responder de uma forma, como atualizar mecânicas, repaginar um título antigo, reimaginar um jogo nos tempos atuais ou até torná-lo acessível para o público. Resident Evil 2, Crash Bandicoot N. Sane Trilogy e o recente Persona 3 Reload são ótimos exemplos de quando um game é refeito e sua existência faz sentido.

Há toda uma discussão sobre o uso do termo remake e remastered, já que muitas vezes eles são usados de forma errônea ou trocada, se tornando uma escolha mais relacionada ao marketing do que necessariamente a sua produção. Vocês realmente acham que faz sentido Death Stranding receber um “Director’s Cut” sendo dirigido pelo Kojima, desenvolvido pela Kojima Production e tento toda a liberdade criativa do mundo para produzi-lo da forma que quer? Ele não se trata de um remake, mas é um ótimo exemplo de como a equipe de publicidade pode fazer escolhas de acordo com o perfil de compra do público e ignorando a proposta original do projeto.

Leia mais…

Tags

Compartilhe

Windows 11 agora exibe anúncios de apps dentro do Menu Iniciar
Veja dicas de como economizar na compra de eletrodomésticos
Diretor de Guerra Civil já fez quatro ótimos filmes de ficção científica! Veja quais
Home office: 102 vagas para trabalho remoto internacional [24/04]
Ações do Brasil para expandir telecom podem ser adotadas em qualquer país
Satélite da Telebras será usado para antecipar metas do governo de inclusão digital
Incentivo estatal pode viabilizar negócios de ISPs brasileiros na África
Todas escolas de ensino básico em cidade na Paraíba tem acesso à internet
Astrônomos celebram o 34º aniversário do Telescópio Hubble: Um olhar sobre suas conquistas e futuro
Ator de GTA V chegou a gravar conteúdos para DLC cancelado pela Rockstar