Legisladores da Flórida votam para restringir o acesso de crianças às redes sociais

A Câmara dos Representantes da Flórida aprovou na quarta-feira, 24, um projeto de lei que visa proibir crianças de 16 anos ou menores de acessar plataformas de mídia social, após ações semelhantes em vários estados para limitar os riscos online para crianças e adolescentes. Aprovada por uma votação bipartidária de 106 a 13, a medida exigiria que as plataformas de redes sociais encerrassem as contas de qualquer pessoa com menos de 17 anos e utilizassem um sistema de verificação de terceiros para filtrar os menores de idade. As informações são da Agência Reuters,

“Devemos abordar os efeitos nocivos que as plataformas de redes sociais têm no desenvolvimento e no bem-estar dos nossos filhos”, disse o presidente da Câmara da Flórida, Paul Renner. “A Flórida tem interesse e dever estatal de proteger nossas crianças, sua saúde mental e sua infância”. O projeto de lei também exigiria que as empresas excluíssem permanentemente as informações pessoais coletadas das contas encerradas e permitiria que os pais instaurassem ações civis contra aqueles que não o fizessem.

Os patrocinadores disseram que a medida era necessária para proteger as crianças da depressão, ansiedade e outros problemas de saúde mental que, segundo eles, estão ligados ao uso excessivo das redes sociais, cujos aspectos viciantes, segundo os críticos, tornam as crianças especialmente vulneráveis. Os opositores argumentaram que o projeto de lei vai longe demais, com alguns apelando para medidas menos restritivas, como permitir que os pais optem por permitir ou não que os seus filhos utilizem as redes sociais. A legislação agora vai para apreciação do Senado do estado da Flórida.

A Meta, empresa controladora do Instagram e do Facebook, se opôs à legislação, chamada de HB1, dizendo que limitaria a discrição dos pais e levantaria preocupações com a privacidade dos dados. “A HB1 exigiria que cada novo usuário de mídia social, desde um jovem de 13 anos em Miami até um de 73 anos de Boca Raton, fornecesse informações de identificação possivelmente confidenciais, como carteira de motorista ou certidão de nascimento a um terceiro para verificar sua idade”, disse Caulder Childs, da Meta, ao Comitê Judiciário da Câmara.

Utah se tornou o primeiro estado dos EUA a adotar leis que regulamentam o acesso das crianças às redes sociais em março de 2023, seguido por outros, como Arkansas, Louisiana, Ohio e Texas, de acordo com uma análise legislativa preparada para o projeto de lei da Flórida. Ele disse que vários outros estados também estavam contemplando regulamentações semelhantes. Em 2015, a União Europeia aprovou em 2015 uma lei que exige o consentimento dos pais para que uma criança tenha acesso às redes sociais.

Tags

Compartilhe

Galaxy M15 5G deve ter boa bateria e carregamento rápido
Dupla é condenada por roubar iPhones usando sistema de reparos da Apple; entenda
Samsung Ocean oferece aulas gratuitas de programação, IA e inovação
Review de Pacific Drive - Dirigir não será nada pacífico, mas a jornada vale a pena
Transações de cartões de crédito, débito e pré-pagos cresceram 10,1% em 2023
CEADI promove curso sobre Ecossistema Digital
O VALORANT Champions Tour (VCT) revela Cápsulas de Equipe oficiais
7 fraudes bancárias mais comuns no Brasil e como evitá-las
Need For Speed Unbound terá Ano 2 recheado de novidades; confira!
House of Ninjas terá segunda temporada na Netflix? Veja o que esperar